Se você começou a ler esse texto, vamos começar com alguns pressupostos pra que o assunto não vire uma viagem sem pé nem cabeça. Eu suponho que você tenha uma ideia ou já tenha ouvido falar em chakras, em nadis, em meridianos de energia, e coisas do gênero. Não vamos entrar no mérito do “acreditar na energia” porque a coisa fica new age demais.

banner-heart-chakra-dunas

Os Chakras e a Bioenergia

Mas enfim, o nosso corpo produz bioeletricidade. Aqueles que são fãs de ficção científica, lembram dessa cena do filme Matrix que dá inclusive detalhes da quantidade de energia e calor que nosso corpo é capaz de produzir. donna cerca uomo Aversa Uma série de atividades do nosso organismo resulta na produção de energia – metabolismo, digestão, trocas gasosas que acontecem na respiração, movimento dos seus músculos, o pulsar do coração – são atividades que produzem energia dentro do seu biossistema. 

Alguns estudiosos de medicina ocidental utilizam a leitura dessa produção de energia do corpo como maneira de diagnosticar a saúde de uma pessoa e prevenir que doenças mais sérias possam se manifestar. Essa produção bioelétrica está diretamente conectada ao nosso corpo físico, material, e se espalha pelo corpo e criando e conectando diversos circuitos. Essas conexões criam regiões onde energias se acumulam com mais força, ou em maior quantidade. Perto do coração temos um Chakra – uma dessas regiões de concentração energética – conhecido como donna cerca donna Milano Anahata que, em sânscrito, significa algo do tipo “aquele que não foi atingido”. 

O Anahata, embora esteja alinhado e em sintonia com a pulsação do coração, muitas vezes é também associado a uma pequena glândula endócrina bem diferente: A Timo. Diferente porque ela aumenta de tamanho quando somos crianças, e atrofia já na puberdade. Ela chega a variar de tamanho, podendo ter até 37 gramas quando você chega na adolescência pra 5 gramas quando você chegar nos seus 70, 3 vezes menor do que era quando você nasceu. Essa glândula é responsável por secretar algumas substâncias, muito conectadas com a saúde do nosso metabolismo e sistema imunológico. Coisas como envelhecimento precoce, processos alérgicos e problemas de baixa resistência estão diretamente ligados a um mau funcionamento da Timo e o desequilíbrio de suas substâncias. 

Muitos estudos já foram feitos – e deixarei algumas referências científicas ao final do artigo* – explicando o poder das emoções na nossa saúde física. E as emoções que afetam diretamente o funcionamento energético do Anahata são aquelas consideradas mais sutis, como a empatia, a compaixão e o amor. Sem a presença desses sentimentos a pessoa vai, pouco a pouco, interferindo no funcionamento do Chakra cardíaco, consequentemente comprometendo o bom funcionamento da Timo e a manutenção saudável de suas atividades. uomo cerca donna Adige Pessoas demasiadamente egoístas, com dificuldade de se relacionar – seja amorosa ou amigavelmente – que não conseguem se colocar no lugar do outro, e pessoas que não desenvolvem a auto-estima e o amor próprio, todos esses traços comportamentais afetam diretamente todo o seu biossistema comprometendo o funcionamento da Timo em um círculo vicioso onde já não se sabe mais a causa ou a consequência. O comportamento prejudica o corpo que, por sua vez, condiciona o comportamento dada a perda de saúde e assim a pessoa segue.

 

O poder da meditação

Para que a gente possa intervir nesse processo autofágico do emocional com o corpo, precisamos ter uma visão sistêmica a respeito do nosso comportamento e uma percepção de nós mesmos que não seja exclusivamente nutrida pelo status quo que o nosso Ego tanto adora. Muitas terapias podem ajudar nesse processo. Muitas vezes conversar com um psicanalista basta. coppia cerca uomo Livorno Mas, às vezes, você ja ouviu tudo o que o analista tem pra te dizer, tudo faz muito sentido, mas a transformação no corpo e no comportamento não vem. 

Isso acontece porque transformação acontece de dentro pra fora, e não de fora pra dentro. Por mais que as coisas façam um certo sentido lógico pra você e convença sua mente, o seu corpo ainda não sente aquilo da mesma forma. A meditação é uma maneira de se reconectar com o corpo, entender as marcas que as emoções deixaram no teu corpo físico, que, como se não bastasse, vai expandir a sua consciência e a sua percepção sobre si mesmo. donna cerca uomo Trani A meditação é extremamente útil para que possamos nos enxergar além da obviedade das situações.

Por meio da prática regular da meditação – e recomendo nesse caso as meditações ativas do Tantra – a pessoa começa a sentir melhor como os seus comportamentos e atitudes estão influenciando positivamente ou negativamente o seu corpo. Sentir, não entender. O trabalho meditativo, por ser uma reconexão com o corpo, é extremamente sensorial e absolutamente nada lógico. Os insights aparecem de maneira nada linear, manifestados de maneiras das mais diversas, conforme vemos nos encontros de meditação que fazemos. A partir do momento que a experiência traz esse sentido – entre corpo e comportamento – sem que ninguém tenha dito pra pessoa que ela precisa ser assim ou assado, a escolha de sair desse comportamento viciado torna-se muito mais presente, surge com muito mais força. É mais fácil parar de fumar quando se medita, assim como é mais fácil abrir o seu coração para um relacionamento que parece assustador como todos os outros antes dele.

 

Cuidando da Timo

Tudo que você ouviu falar que serve para cuidar do coração, serve muito bem para manter a Timo a todo vapor. Mas muito mais do que caminhar, pedalar e fazer alguns exercícios aeróbicos, precisamos nutrir o corpo de boas emoções. Aprender a desenvolver a compaixão, a conexão livre e desinteressada por outro ser humano, sair dos padrões estabelecidos pela sociedade e criar um olhar amoroso a respeito de si próprio, independente dos estereótipos e nomenclaturas vigentes. E isso pode ser um processo dolorido no começo, porque você pode sentir um enorme peso no corpo, como se tivesse perdido muito tempo da sua vida em emoções mesquinhas e nocivas à tua saúde. Mas passa. Como uma academia: o desconforto físico passa com a prática constante.

Se você sente alguns dos sintomas comentados anteriormente, como alergias, doenças autoimunes, baixa resistência física, envelhecimento precoce, ou qualquer outra consequência do mau funcionamento da Timo, procura referências amorosas no seu dia a dia. Encontre pessoas que você admira e troque um longo e demorado abraço. Procure fazer uma tarefa artística que te traz satisfação. Encontre uma pessoa em dificuldades e ofereça sua atenção para que ela possa compartilhar seu problema. Todas essas sensações de prazer, amor, compaixão, conexão e empatia vão ajudar a dissolver qualquer questão energética que possa estar ligada ao funcionamento dessa glandulazinha tão importante.

Aquela velha história que todo mundo já ouviu: uma raiva pode virar uma úlcera. Antes da emoção se somatizar, antes que você precisa de cirurgia e remédios pra vida inteira, você pode curar seu corpo pela meditação. Menos invasiva, mais barata, sem contra indicação e com todos os efeitos colaterais extremamente positivos. Vai esperar até quando?

 

Nota:

banner-heart-chakra-dunasDomingo dia 5/2 às 14h30min no Parque das Dunas, Moti, Vatya e eu, todos terapeutas tântricos, vamos conduzir um encontro gratuito de meditação chamado Meditação do Coração.

A ideia é nos sintonizarmos com esse centro de energia chamado Anahata e tentar perceber um pouco melhor como anda a nossa amorosidade, nossa compaixão e nossa empatia.

Bora sair do sofá e começar o seu processo de cura?

 

 

 

* Alguma bibliografia pra quem quiser se aprofundar (textos em inglês)

Rosenkranz, M. A. et al. Affective style and in vivo immune response: Neurobehavioral mechanisms. PNAS, Volume 100, pp. 11148-52, doi:  10.1073/pnas.1534743100

Marchant, J. Immunology: The pursuit of happiness. Nature, Volume 503, 27 November 2013, pp. 458-60, doi: 10.1038/503458a

Cohen, S. et al. Emotional style and susceptibility to the common cold. Psychosomatic Medicine, Volume 65, July-August 2003, pp. 652-7.

Cole, S. W. et al. Social regulation of gene expression in human leukocytes. Genome Biology, Volume 8, 13 September 2007, doi: 10.1186/gb-2007-8-9-r189