Disfunção Erétil – como o Tantra pode ajudar?

Ninguém fala sobre isso. Poucos têm coragem de admitir e procurar uma solução para seu problema. Mas, o fato é que, de acordo com um estudo realizado pelo Núcleo de Psicologia da Universidade de São Paulo pragmatik slot oyunları cerca de 40% dos brasileiros com mais de 18 anos apresentam algum sinal de disfunção erétil

A incapacidade de manter uma ereção o suficiente para uma relação sexual satisfatória caracteriza essa disfunção. A frequência com que ocorre pode torná-la severa ou branda. Dentre os principais agentes causadores desse transtorno estão: estresse, cansaço, fadiga e consumo de drogas. Mas o que pouca gente diagnostica como problema é a psicogenia da resposta sexual. Heim? Eu explico.

 

Ereção psicogênica
A porta de entrada para a interferência mental

disfunção erétilO homem pode ter dois tipos de ereção: uma que reage aos estímulos recebidos pelo toque em seu corpo, seja ele nas zonas erógenas ou em outras partes da superfície da pele, cujo foco é o centro sexual orgânico que temos na base da coluna. É a resposta natural que deveríamos ter aos estímulos entendidos como sexuais: o toque é recebido, dispara as informações para o sistema nervoso central, que responde com o comando: hora da ereção! Além dessa, existe a ereção psicogênica, que é originada diretamente no cérebro e desce o comando para a ereção diretamente, sem que haja qualquer estímulo efetivamente recebido pelo corpo. É esse tipo de ereção que surge quando assistimos pornografia, por exemplo. O cérebro é “enganado” a despertar esse estímulo de ereção sem que o corpo propriamente dito tenha sentido essa vontade. Da mesma forma, quando fechamos os olhos e fantasiamos mil estrepolias durante o ato sexual, estamos focando nos estímulos psicogênicos e, consequentemente, negligenciando o corpo. É mais ou menos a mesma coisa que acontece quando estamos assistindo pornografia – uma supressão de todo o aspecto sensorial que envolve a excitação e a sexualidade.

Esse tipo de condicionamento abre margem para um sem número de questões psicológicas interferirem no processo da ereção, da relação e do sexo como um todo. source site É preciso um resgate do nosso centro sexual nativo, que concentra a energia da nossa sexualidade no nosso corpo. Precisamos renegar ao cérebro a função de coordenar nossos processos sexuais e passar a sentir mais o corpo e a receptividade dos estímulos. É aí que entra a terapia tântrica.

 

O que a Terapia Tântrica pode fazer
no tratamento da disfunção erétil

Essa terapia, principalmente ao utilizar a ferramenta da massagem tântrica, provoca reações que vão de encontro aos condicionamentos limitantes, alterando os padrões da nossa sexualidade. O homem passa a sentir a ereção em vez de estimulá-la com comandos. Para isso, são feitos estímulos – completamente distintos dos movimentos masturbatórios – que não possuem uma codificação no cérebro; são toques inéditos, desconhecidos que, além de criar essa nova referência acabam por tonificar os músculos do pênis, tornando-o capaz de sustentar mais energia, prolongando e intensificando a ereção. Todo o processo desenvolve no homem a capacidade de sentir orgasmos secos desvinculados da ejaculação, que geram correntes bioelétricas em seu organismo, ativando glândulas produtoras de hormônios ligados ao prazer e à satisfação. Ou seja, ainda que o problema de disfunção erétil não seja estritamente psicológico – se for o caso de problemas de fluxo sanguíneo, produção hormonal, etc – slot meyve oyunları a massagem tântrica pode ser uma ótima opção a fim de se evitar medidas mais invasivas como uma cirurgia.

Ainda nesse processo, é papel de um bom terapeuta analisar as respostas corporais que vêm à tona no atendimento. Nossas emoções estão diretamente conectadas ao nosso padrão respiratório momentâneo. Não apenas isso, mas todos os movimentos estão conectados à somatização de sentimentos e à nossa anatomia emocional. É preciso uma leitura constante durante o atendimento para ir desmanchando esses conceitos já arraigados no corpo da pessoa para que os estímulos encontrem um caminho novo, livre de percepções antigas. Não ache estranho, portanto, se o seu terapeuta pedir para você respirar em um determinado padrão ou levantar os braços durante a execução do processo terapêutico. 

Se você já teve algum problema com sua ereção, ou apenas quer descobrir novas maneiras de interpretar sua sexualidade, procure conhecer mais sobre a terapia tântrica e os benefícios que ela traz para o corpo e para a mente. Caso queira tirar alguma dúvida, agendar uma conversa ou uma sessão, entre em contato a qualquer momento.

 

 

 

Massagem Tântrica em Natal/RN

A Massagem Tântrica do Método Deva Nishok agora pode ser experienciada diariamente em Natal!

morro-do-careca-sim

Natal – Praia de Ponta Negra – Morro do Careca

Olá a todos!

Fiquei o ano de 2014 praticamente inteiro morando na Comuna Metamorfose. Tive a oportunidade de fazer mais duas capacitações e me especializar ainda mais no Método de Terapia Tântrica que o Centro Metamorfose está difundindo em todo o mundo. Tive o prazer de conviver com o coordenador geral Deva Nishok e absorver muito mais do que é possível nos cursos. A convivência diária naquela atmosfera de amorosidade e realização com certeza agregam muito valor à técnica e à prática dessa kıbrıs slot makineleri nasıl oynanır terapia que vai muito além da massagem tântrica. 

Agora no segundo semestre de 2015 teremos vários colegas terapeutas do Centro Metamorfose visitando a unidade Natal, que fica em Ponta Negra, pertinho do Praia Shopping.

A Massagem Tântrica em Natal não chega isoladamente; junto desse poderoso método de cura e desenvolvimento da sexualidade, vem junto todas as ferramentas da terapêutica tântrica: meditações, vivências em grupo, trabalhos de respiração e várias outras práticas para conectar o ser humano consigo mesmo!

Se você tem um histórico de abuso, alguma disfunção que te impossibilidade de desfrutar da sexualidade com plenitude, depressão, timidez, uma relação não muito saudável com o próprio corpo ou simplesmente quer se redescobrir, conhecendo todo o potencial orgástico do seu corpo, entre em contato pelo formulário abaixo e vamos mudar essa condição.

Ficarei feliz em termos uma conversa sem compromisso para que eu possa te informar sobre as reais possibilidades do trabalho revolucionário que o Centro Metamorfose tem feito no Brasil e no Mundo.

[contact-form-7 id=”69″ title=”Contact form 1″]

 

Esqueça o Sexo; Tantra é uma preparação para a Morte

Preciso começar deixando claro que não tenho nada contra o sexo. Como tudo na existência ele pode ser encarado pelos seus aspectos positivos ou negativos. Há quem o ache sujo, perverso, controlador. A meu ver ele é sagrado, divino. Carrega consigo a capacidade de conectar duas almas com a energia criadora do universo. A energia sexual é uma energia criadora – ela gera vida. Muito se fala das condições astrológicas no momento do nascimento de uma vida enquanto pouco se fala, por exemplo, de como a energia sexual estava sendo trabalhada no momento da fecundação do óvulo. Muito mais que signos astrais e posições de planetas, será que não reflete algo na vida da criança que vai nascer o fato de ela ter sido concebida em uma rapidinha num banheiro de balada no carnaval ou num ritual íntimo de alta sustentação de energia, entre dois parceiros conectados?

Mas o assunto aqui não é sexo. É a outra ponta da linha. Sim pois, pensando na sua vida como uma linha do tempo, em uma ponta está o sexo, a energia que criou o código genético do corpo que você habita hoje. Na outra ponta está a morte. A grande ironia – a meu ver – é que muitos pensem que o Tantra seja uma manual de práticas sexuais enquanto na realidade ele se trata de uma preparação para o momento da morte.

[pullquote]Não, o Tantra não vai fazer você renunciar a tudo que tem e morar no alto da montanha. Mas sim, ele te mostrará o verdadeiro valor das coisas.[/pullquote]

click Mergulhar no Tantra é entrar em contato com o funcionamento da existência; é desenvolver uma visão sistêmica de causa e efeito que abre os olhos para toda a conexão que existe entre os seres, entre o tempo e o espaço, entre o aqui e o agora. Ao levar o indivíduo para dentro de si, para o centro da sua verdade interior, o Tantra revela o universo; micro-cosmo e macro-cosmo se complementam de maneira a encerrar qualquer tipo de dualidade.

E nada disso é “entendido” no termo literal. Nada disso passa pelo racional, pelo lógico. Tudo isso é vivenciado na forma de sentimentos e sensações que não podem ser aprendidas ou assimiladas por livros ou teoria – é preciso passar pela experiência. E o que essa experiência traz é uma mudança de comportamento, uma independência na relação estímulo-resposta. Você passa a agir diferentemente, a reagir diferentemente, com mais consciência, com uma voz interior com mais autonomia, mais volume!

SamsaraNasce então um sentimento de desapego – os seus bens, os seus títulos, as suas conquistas, tudo isso ganha um outro peso. Não, o Tantra não vai fazer você renunciar a tudo que tem e morar no alto da montanha. Mas sim, ele te mostrará o verdadeiro valor das coisas. Ele vai mostrar que tudo o que você estudou e trabalhou a vida inteira não será lembrado por mais ninguém no mundo, que todas os seus bens serão motivos para desavenças entre familiares sedentos por herança ou estarão deteriorados em algumas décadas. Ele vai deixar claro pra você que todo aquele sentimento doentio de posse nada tinha de amor; que os julgamentos e preconceitos que você alimentou toda a sua vida só te prejudicaram, limitando o seu conhecimento e a sua experiência. Esse desapego torna mais fácil viver no presente, sem sermos vítimas das dores do passado ou reféns das angústias do futuro. E, pouco a pouco, o medo da morte tanto alimentado pelo ego – assim como tantos outros medos – passa a ficar mais fraco, mais caricato, divertido até.

E, claro, faço questão de apontar que essa é só a opinião de alguém que está começando nesse caminho tão transformador. É o que tenho sentido, vivenciado. Se certo ou errado, tanto faz; não existe aqui a pretensão de ser um ou outro. Aos que pensam o mesmo ou pensam diferente, deixo aqui uma pergunta: O que é o Tantra para você?

 

 

O orgasmo e seu efeito terapêutico

O orgasmo corresponde a uma concentração de descargas bioelétricas que percorrem o corpo, gerando contrações musculares, seguidas de relaxamento e prazer intensos. Surgindo, normalmente, após estímulos das zonas erógenas, o orgasmo, ao se aproximar, muda a química do nosso cérebro, o que altera toda a nossa percepção e, dada uma certa intensidade, pode nos levar a outros estados de consciência. Ele estimula a produção de diversos hormônios, como a dopamina, que ajuda a regular nosso humor, cognição e memória, ou a oxitocina, conhecida como hormônio do amor – liberado também em situações como quando uma mãe tem seu bebê, ou quando o pai segura o filho nos braços.

O orgasmo feminino e o orgasmo masculino possuem características específicas, assim como similaridades. 

 

O orgasmo feminino

Há muito tempo que esse assunto interessa à humanidade. O orgasmo foi objeto de estudos por parte de Hipócrates e Galeno (400 A.C.) e também por Avicena e Maimonides na Idade Média. Consta na literatura que eles criaram métodos terapêuticos para a estimulação dos tecidos genitais e desencadeamento do orgasmo. O tema não é novo e essas práticas tornaram-se comuns, sendo utilizadas até os anos 30, aproximadamente. Naquela época, os médicos prescreviam o orgasmo como um recurso terapêutico para tratar as mulheres com várias enfermidades, sendo a mais comum a histeria, (um conveniente e abrangente “diagnóstico” dado às mulheres que não “conseguiam” se adequar às convenções determinadas pela sociedade). O orgasmo, ou “massagem médica”, era prescrita regularmente. 

[pullquote]O orgasmo é um dos melhores e mais eficientes tratamentos reguladores das disfunções hormonais.[/pullquote]

Já no século XX, Freud traça uma análise sobre o orgasmo – mais precisamente sobre o orgasmo feminino – que serviria de base para uma série de teorias, assim como de críticas. Separando o orgasmo feminino entre o orgasmo clitoriano e o orgasmo vaginal, Freud postulou que somente uma mulher madura atingiria o orgasmo vaginal e que o orgasmo clitoriano estaria presente na vida de mulheres de psique imatura. Embora esses dois fenômenos realmente existam de maneiras distintas, sua principal distinção é a zona erógena estimulada. É um erro também imaginar que o orgasmo feminino seja assim limitado; mulheres podem sentir a sensação orgástica com estímulos por todo o corpo. É o chamado orgasmo expandido.

Infelizmente, depois das teorias de Sigmund Freud, a medicina ocidental aboliu o recurso terapêutico do orgasmo e passou a utilizar-se apenas da psicoterapia.

 

O orgasmo masculino

orgasmo terapêuticoOs homens tendem a atingir o orgasmo mais rapidamente do que as mulheres. Porém, segundo dois pesquisadores americanos da década de 60 – Masters e Johnson – homens não conseguem ter orgasmos múltiplos pois após esse pico de excitação, segue um momento de relaxamento no qual a ereção se desfaz. Esse momento é chamado de período refratário e tem um tempo de duração diferente para cada indivíduo, dadas certas condições como preparo físico, idade, etc. 

Assim como é mais rápido, é dito que o orgasmo masculino é também mais curto que o orgasmo feminino. Enquanto o primeiro tende a durar entre 3 a 10 segundos, as mulheres podem vivenciar a sensação orgástica por até um minuto. Mas nem tudo são diferenças: assim como as mulheres, os homens também podem experienciar o orgasmo expandido, encadeando as reações bioelétricas por todo o corpo. E, mesmo experienciando um momento refratário que dificulta a penetração, a sensibilidade do pênis e da glande podem também ser estimuladas para fazer com que homens vivenciem os tão misteriosos orgasmos múltiplos. 

 

Os orgasmos múltiplos

Muito é dito a respeito desse tão incompreendido e mágico momento. Atribuído essencialmente às mulheres, os orgasmos múltiplos aparecem quando as descargas elétricas do orgasmo não cessam no primeiro pico de excitação, permanecendo frequentes, com maior ou menor intensidade. Como ondas de prazer que se sucedem, os orgasmos múltiplos são visto hoje em dia como um mistério, como um fenômeno natural que você pode ou não ter a sorte de encontrar na sua vida. Algumas o alcançam, outras não, assim, de maneira taxativa e arbitrária.

Cabe esclarecer que todos nós temos a capacidade de vivenciar orgasmos múltiplos, orgasmos secos (sem ejaculação), orgasmos de vale (nos quais o pico de energia não cai abruptamente, mas se mantém estável), assim como o orgasmo expandido, que espalha a bioeletrecidade por todo o nosso corpo. Inclusive homens, não percam as esperanças; vocês também são capazes de experimentas as sensações maravilhosas e inigualáveis dos orgasmos múltiplos tão famosos entre as mulheres.

O que acontece é que não somos preparados para isso. Torcemos para que esses orgasmos aconteçam natural e espontaneamente – geralmente esperando que surja um parceiro ou parceira com os poderes sedutores necessários para nos levar a tal experiência. Sequer imaginamos que podemos treinar o nosso organismo para atingir esses níveis elevados de bioeletrecidade. Como um atleta se prepara para um grande desafio físico, tonificando seus músculos, desenvolvendo elasticidade e concentração necessários para sua modalidade esportiva, assim também é possível preparar o corpo para atingirmos orgasmos de maior intensidade, tantos os orgasmos múltiplos quando o orgasmo expandido. E, claro, quanto mais intensos são esses momentos, maiores e mais fortes são os efeitos terapêuticos que o orgasmo desencadeia em nosso corpo. 

 

O Efeito Terapêutico

O orgasmo é um dos melhores e mais eficientes tratamentos reguladores das disfunções hormonais. É um recurso natural e gratuito, disponível para homens e mulheres em qualquer faixa etária, a partir da maturidade dos seus centros sexuais.

Conforme estudo publicado pela Universidade de Michigan, o orgasmo aumenta os níveis de estrogênio e libera ocitocina, reduzindo o cortisol, o principal hormônio do estresse elevado crônico, quadro muito comum entre as mulheres de todas as épocas, mas principalmente nos dias de hoje, em que a demanda de responsabilidades sobre a mulher tem crescido consideravelmente.

orgasmo terapêuticoAlém da redução dos níveis de cortisol no sangue, os níveis de ocitocina aumentam em 5 vezes após uma forte experiência orgástica. Níveis mais altos de ocitocina fazem a pessoa se sentir feliz, enquanto baixos níveis de ocitocina estão relacionados à depressão e a níveis mais baixos de hormônio tireoidiano. A ocitocina também estreita a vinculação afetiva entre mãe e bebê e entre parceiros.

Em outras palavras, o orgasmo ajuda a santa trindade – cortisol, estrogênio e tireóide – a permanecer em seu ponto de equilíbrio. E ainda tem mais…

O orgasmo reduz a dor pela metade, sem alterar a sensibilidade. Aumenta a fertilidade, aumentando a pressão negativa dentro do útero – quando a ocitocina é liberada após o orgasmo, as contrações uterinas aumentam a sucção do sêmen no colo do útero. Além disso, a ocitocina pode aumentar a densidade óssea, evitando doenças ósseas como a osteoporose, que são muito mais frequentes em mulheres do que em homens.

Qualquer pessoa que deseje manter-se em perfeito equilíbrio funcional necessita de doses intensas de orgasmos. A falta do orgasmo ou orgasmos insatisfatórios causam desequilíbrios no corpo físico, na mente, nas emoções e na dimensão espiritual do ser. Tanto homens quanto mulheres precisam de uma dose saudável de orgasmos. E a melhor parte desse remédio é não haver contra indicação nenhuma – é o seu corpo encontrando equilíbrio consigo mesmo.

 

O orgasmo expandido

A maioria das pessoas conhece apenas o orgasmo genital (clitoriano ou peniano). Não só os leigos, mas inclusive todas as pesquisas que são dirigidas sobre o assunto acabam por deixar de lado outras possibilidades. É importante que todos saibam que o orgasmo pode adquirir maior intensidade e tempo de duração, podendo ser muito mais amplo do que o normalmente conhecido, que dura alguns poucos segundos. 

As características que definem o orgasmo expandido são as sensações energéticas e as contrações em todo o corpo, especialmente no abdome, músculos internos, mãos e pés, e claro, nos genitais, como descreveu Reich em seu livro de 1942, A Função do Orgasmo.

massagem tantricaEsse orgasmo de corpo inteiro, chamado de Orgasmo Expandido, é um orgasmo que apresenta mais intensidade e uma maior duração que as sensações orgásticas descritas normalmente, conforme foi visualizado nos estudos de Wilhelm Reich. São orgasmos que podem durar de poucos minutos até algumas horas. O termo foi cunhado em 1995 por Patricia Taylor, que começou a usá-lo após uma pesquisa sobre experiências sexuais intensas com 44 casais de diversas procedências. A Dra. Taylor descreve nos relatórios de suas pesquisas, casos de praticantes entrando em estados alterados de consciência, o que os fazia sentir uma forte liberação e um rejuvenescimento emocional, experiências espirituais profundas, uma consciência que geralmente não se percebe durante os orgasmos comuns, e a percepção da bioenergia se expandindo para muito além dos limites do próprio corpo. Encontramos relatos de experiências similares em estudos realizados pela Dra. Jenny Wade e por David Deida. A Dra. Taylor afirma que os homens têm as mesmas probabilidades que as mulheres de entrar nestes estados e ter estas mesmas experiências. 

Adicionalmente, tanto Brauer, como Bodansky, tratam sobre o orgasmo expandido masculino. As teorias sobre os processos biológicos requeridos para entrar nestes estados incluem a estimulação e elevação progressiva e equilibrada dos sistemas simpático e parassimpático. 

 

Como chegar ao orgasmo expandido

É preciso preparar o corpo para conseguir produzir toda a bioeletrecidade necessária para atingirmos o orgasmo expandido. A masturbação e as relações sexuais – da maneira que nos foram ensinadas (e que fomos condicionados) – não desenvolvem nosso organismo para sustentar os elevados níveis de energia necessários para a sensação orgástica expandida. 

A Terapia Orgástica do Centro Metamorfose – além de apresentar o efeito terapêutico como uma excepcional opção para inúmeras disfunções sexuais – treina e desenvolve o nosso corpo para conseguirmos atingir e sustentar um potencial energético necessário para a experiência do orgasmo expandido. Para isso é preciso criar novas sinopses no nosso cérebro, ressignificando a nossa relação com o toque, percebendo todo o nosso corpo com mais atenção, mais entrega e muito mais amor. E, claro, Terapia orgástica soa muito melhor e menos arriscada do que muitas terapias que são aplicadas através de hormônios artificiais e antidepressivos, que causam assustadores efeitos colaterais, alguns de conseqüências irreversíveis, não é verdade?

 

Para saber mais

Aprenda a desenvolver o seu potencial orgástico. Entre em contato com um dos terapeutas do Centro Metamorfose e receba a orientação necessária para preparar o seu corpo para um novo universo de sensações. A Terapia Orgástica do Centro Metamorfose já ajudou centenas de pessoas não só a superarem traumas sexuais, mas também a se redescobrirem, expandindo sua consciência acessando a sabedoria formativa do próprio corpo. Clique aqui e agende uma sessão!